Osteonecrose

Osteonecrosis

Esta patologia também pode ser conhecida como necrose asséptica, necrose isquêmica ou necrose avascular da cabeça femoral. Atualmente tem se preferido designar esta patologia como osteonecrose da cabeça femoral. Durante a infância, esta patologia pode ser ocasionada pelo tratamento de uma displasia do desenvolvimento do quadril ou deslizamento da epífise femoral capital, e advir como seqüela da doença de Legg-Calve-Perthes. Os adultos jovens são acometidos pela doença como resultado de uma doença sistêmica ou de traumas de alta energia. Os idosos sofrem de osteonecrose, em geral como resultado de fraturas do colo femoral; esta é a causa mais comum de osteonecrose da cabeça femoral. Nos Estados Unidos, estima-se que de 10.000 a 20.000 novos casos sejam diagnosticados todo ano e que a osteonecrose represente 10% das indicações primárias de artroplastia total de quadril.

Adultos jovens com idades entre 25 e 45 anos são os mais acometidos pela doença, a proporção entre homens e mulheres éde aproximadamente 4:1 e a bilateralidade é encontrada em torno de 50% naqueles casos não associados à corticoterapia e de 70 a 80% nos associados com corticóides; e se, os quadris estão acometidos, então, outras articulações estão envolvidas em 15% das vezes. Caracteriza-se como um infarto da porção ântero-superior suportadora de peso da cabeça femoral, seguindo-se um reparo espontâneo que é interrompido pela fratura subcondral, colapso, compactação e fragmentação do segmento ósseo necrosado com alterações osteoartríticas progressivas.

– Ruptura Traumática dos Vasos
– Fraturas deslocadas do colo femoral
– Luxação
– Oclusão Vascular Externa
– Luxação
– Efusão articular
– Aumento da pressão intra-óssea
– Infiltração medular
– Hipertrofia medular
– Embolização
– Êmbolos lipídicos
– Coágulos sangüíneos
– Bolhas de nitrogênio
– Células metastáticas
– Trombose
– Coagulopatias
– Desordens vasculares
– Citotoxicidade
– Idiopática

Condições e Fatores Associados com Osteonecrose

– Administração crônica de esteróides
– Ingestão excessiva de álcool
– Lúpus eritematoso sistêmico
– Doença renal crônica
– Transplantados de órgãos
– Hemoglobinopatias
– Metástases
– Coagulopatias
– Doença de Caisson
– Disbarismo
– Doença hepática crônica
– Doenças inflamatórias intestinais
– Pancreatite
– Hiperlipidemias
– Doença de Gaucher
– Gota
– Gravidez
– Radiação
– Arteriosclerose
– Fumo
– Doença de Cushing
– Condições alérgicas
– Reações de hipersensibilidade
– Sarcoidose